25/06/2015

Participantes do curso HQ e Fanzine na DRE Pirituba experimentam o software HagáQuê



Nesta quarta-feira (24/06), as professoras e professores que estão fazendo o curso "HQ e Fanzine na Escola", na DRE Pirituba, com a formadora Thaís Brianezi, tiveram a segunda aula. O encontro foi dedicado às histórias em quadrinhos: eles conversaram sobre o uso delas na escola, conheceram técnicas de sua linguagem (como o uso dos balões, enquadramento, timing e letreiramento) e, depois, produziram as próprias HQs no computador.

Na conversa que marcou o início da aula, os participantes partilharam muitos exemplos de gibis e fanzines que haviam trazido. A riqueza e a variedade de formatos e conteúdos foi enorme: havia HQs educativas, de adaptação de clássicos da literatura, de entretenimento. O grupo também se debruçou sobre novas abordagens possíveis para a história dos HQs e fanzines no Brasil: o almanaque do Jeca Tatu que fazia a propaganda do Biotônico Fontoura, no início do século passado, e a tradição de literatura de cordel (que tem produção artesanal e autoral como os fanzines e um estilo característico de imagens - as xilogravuras, que podem virar quadrinhos).

Veja abaixo a imagem dos materiais trazidos pelo grupo:



Para a produção dos quadrinhos no computador, a opção foi testar o software livre HagáQuê, desenvolvido pela Unicamp e que já está instalado nos laboratórios de informática das DREs e da escolas. Ele pode ser acessado via imagem "Softwares Educom", na área de trabalho de cada computador.

Leia os belos quadrinhos produzidos pelas professoras e professores:


No terceiro e último encontro do curso, na próxima quarta-feira (01/07), a missão será produzir um fanzine de papel!  

Um comentário:

Anderson Reinaldo Silva disse...

Olá Thais,

O texto ficou excelente.

O curso está sendo muito produtivo. Obrigado por essa experiência ímpar!

Abraços,

Anderson